sexta-feira, 15 de fevereiro de 2008

mea culpa

Tenho andado a sentir pena de mim mesma, mas eu sou mesmo assim, tenho de ir ao fundo para encontrar a margem. Ok não é normal mas quem disse que pretendo a normalidade. Tenho de reparar danos da minha mania de me tornar a vitima, a verdade é que sou eu que crio os meus próprios fantasmas e logo tenho de viver com eles .
A todos os que me querem obrigado pela paciência.
A todos que me apoiam que eu vos possa apoiar.
Amanhã serei outra, forte e corajosa como sempre.
Feliz e de sorriso facil, esta sou eu a maior parte do tempo.
Eu adoro-vos.
até amanhã.

2 comentários:

eterno sonhador disse...

realmente isso de bancar a vitima torna-se um habito , mas tudo se resolve, a humildade e a auto avaliação nua e crua faz maravilhas, pensa, esquece a vitima...há gente a morrer com doenças terminais esses sim sao vitimas , sofrem e fazem os que mais amam sofrer verdadeiramente, fome , guerra, vitimas! sim VITIMAS.
somos nos que criamos os nossos problemas e depois não temos coragem para os assumir, e mais fácil fazer-se de vitima.

Monica Pereira disse...

Eu não sou vitima de forma nenhuma, isto de escrever, é para mim um extravasar de pequenas frustrações do dia a dia, estes textos são como um directo de televisão num se sabe bem o que vai acontecer.
Obrigado pela força ao eterno, que me parece uma pessoa super sensível.